Na Alemanha, Ministro Tarcísio de Freitas reforça liderança do Brasil na preservação ambiental

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, destacou, nesta sexta-feira (29), em Berlim (Alemanha), que a liderança do Brasil na questão ambiental é resultado da capacidade histórica do país de equilibrar seu desenvolvimento com a sustentabilidade. “Talvez nós sejamos a grande potência ambiental do mundo, e nós temos condições de liderar qualquer discussão ambiental com a autoridade de quem soube preservar”, afirmou Tarcísio Gomes de Freitas, durante o Fórum de Infraestrutura Brasil-Alemanha, realizado pela Associação das Câmaras de Comércio e Indústria da Alemanha (DIHK).

Para o ministro, a preservação ambiental é um importante ativo que valoriza os projetos de infraestrutura no mercado global. “O Brasil responde por pouco mais de 1% das emissões de gás do efeito estufa no mundo, nós temos mais de 60% da nossa mata nativa preservada e 84% da Amazônia preservada, com 42% de matriz energética limpa. A Alemanha tem 14%”, disse o ministro aos participantes do encontro na DIHK.

Em outubro, o ministério assinou memorando de entendimento com a agência de cooperação técnica alemã Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) para adequar ações e projetos de infraestrutura, tornando-os resilientes (adaptados) às mudanças climáticas. Em setembro, também foi assinado memorando de entendimento com a Climate Bonds Initiative (CBI) para certificar com “selo verde” os projetos de concessões, de olho no crescimento do mercado global de green bonds (títulos verdes).

Na capital alemã, o ministro também participou de mesa redonda sobre oportunidades de investimentos no Brasil, realizada na sede da Deutsche Bahn, empresa estatal de transportes. Participaram do encontro investidores e operadores de ferrovias europeus.

DESESTATIZAÇÃO DE PORTOS – Na quinta-feira (28), Freitas fez visita técnica ao Porto de Hamburgo, segundo maior porto da Europa. O ministro conheceu as operações de contêineres 100% automatizadas e terminais que, inclusive, recebem minérios de Carajás/PA e Tubarão/SC. Freitas e técnicos do ministério que integravam a comitiva discutiram com representantes do governo local e da iniciativa privada, durante a visita, diferentes modelos de desestatização e operações de portos, com a contribuição de exemplos europeus e brasileiros.

O governo federal estuda, num primeiro momento, a privatização da Companhia Docas do Espírito Santo (Codesa) e deve seguir com um planejamento de abertura no setor. “Discutimos modelos, soluções logísticas e sua integração multimodal. Operação ferroviária local sob a autoridade do porto é algo a ser estudado para Santos, por exemplo”, disse o ministro, após a agenda em Hamburgo. 

Na Europa desde segunda-feira (25) para mais um roadshow com investidores estrangeiros, a comitiva do Ministério da Infraestrutura passou por Londres (Inglaterra) antes da chegada à Alemanha, na quarta-feira (27) à noite. Na capital inglesa, foram 25 reuniões com fundos de investimentos e executivos de grandes bancos em dois dias de agenda. A chegada ao Brasil do ministro e comitiva está prevista para este sábado (30).

Fonte: Ministério da Infraestrutura