Projetos da Zona Franca devem gerar 1.174 novos empregos no Polo Industrial de Manaus

O Conselho de Administração da Suframa (CAS) aprovou, nesta quinta-feira (5/12), 31 projetos industriais que somam investimentos totais de US$ 198,39 milhões até o final dos três primeiros anos de operação. A reunião foi presidida pelo secretário especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia (Sepec/ME), Carlos Da Costa, e contou com a participação do superintendente da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), Alfredo Menezes. Foram aprovados 14 projetos de implantação e 17 de diversificação, ampliação ou atualização. Juntos, eles devem gerar 1.174 empregos no Polo Industrial de Manaus (PIM) e previsão de faturamento na ordem de US$ 869 milhões no mesmo período.

O secretário especial de Produtividade, Emprego e Competitividade, Carlos Da Costa, afirmou que o Ministério da Economia está empreendendo esforços em alinhamento com a Suframa para o desenvolvimento da região. “Hoje temos um ambiente de harmonia e integração e, com isso, conseguimos garantir mais segurança jurídica, a estabilidade das reuniões do CAS e ganhos de eficiência”, afirmou.

Nas três reuniões de 2019, o CAS somou 144 projetos industriais e de serviços aprovados, com a geração de 9.500 empregos e investimentos totais de US$ 1,1 bilhão, além de projeção de faturamento de US$ 7 bilhões em até três anos, que é o prazo para que os projetos sejam instalados. “O calendário do CAS para o ano que vem está aprovado e a primeira reunião será no dia 20 de fevereiro, com a participação do presidente Jair Bolsonaro. Estamos construindo uma agenda com os governadores e uma visita ao Polo Industrial de Manaus”, informou o presidente da Suframa, Alfredo Menezes.

Durante a reunião, Carlos Da Costa também informou que o Ministério tem trabalhado em novos programas de modernização de empresas e de capacitação. “Queremos modernizar 200 mil empresas no Brasil em capacidades gerenciais e um dos focos desse programa será a região amazônica. Temos também o programa “Emprega mais”, que pretende capacitar de 2,5 milhões de pessoas e já convido as empresas do PIM que possam se beneficiar dessa nova estratégia de qualificação, principalmente fornecedores e colaboradores, com ganhos de competitividade e produtividade ao longo de toda a cadeia”, explicou.

Por fim, o secretário reiterou o compromisso do governo federal com o modelo Zona Franca de Manaus. “Podem ter a absoluta confiança de que não apenas nas palavras, mas nas ações, como já demonstramos, que estamos totalmente comprometidos com a Zona Franca de Manaus e com a Amazônia Ocidental, com todos os incentivos e benefícios efetivos que venham a trazer desenvolvimento para a região, emprego, renda, proteção do nosso território e proteção da nossa floresta”, garantiu.