Iniciativas do Governo do Tocantins para a educação são destaque em pesquisa nacional dos Tribunais de Contas

As ações que o Governo do Tocantins tem adotado desde o início das medidas de isolamento social provocadas pela pandemia do novo Coronavírus são destaque em estudo nacional realizado pelo Comitê Técnico da Educação do Instituto Rui Barbosa (CTE-IRB), pelo Interdisciplinaridade e Evidências no Debate Educacional (Iede) e por 26 Tribunais de Contas de todo o Brasil.

Os resultados da pesquisa, intitulada “A Educação não pode esperar: Estratégias das Redes de Ensino durante e após a pandemia”, serão divulgados em live realizada nesta sexta-feira, 19, a partir das 15 horas, no canal do CTE-IRB no YouTube. A programação do evento conta com o painel “Ações das redes durante a pandemia e as estratégias no retorno às aulas”, que terá a participação da secretária de Estado da Educação, Juventude e Esportes do Tocantins, Adriana Aguiar, falando sobre as iniciativas do Estado neste período de pandemia. Além da experiência do Tocantins, o instituto selecionou como caso de sucesso as medidas adotadas pelo Município de Barroquinha (CE), cuja experiência também será apresentada no painel pela secretária municipal Angeliete Veras.

O estudo que será apresentado compila ações de redes públicas de ensino em áreas como práticas pedagógicas, suporte e formação de professores, orientação às famílias, distribuição de alimentos aos estudantes e estratégias para combater o abandono escolar e as defasagens de aprendizagem.

Para a titular da Seduc, a escolha do Tocantins como caso de sucesso pelo Instituto representa um reconhecimento dos esforços que o Governo do Estado tem empreendido nas ações para que a população não fique desamparada neste período pandêmico.

“Foi uma determinação do nosso governador Mauro Carlesse para que nossos estudantes pudessem ter garantidos seu direito à alimentação e a conteúdos que os auxiliassem nesse momento tão delicado em que estamos vivendo. Por isso, poder participar e ser destaque em um estudo como esse é muito importante para todos nós, pois nos dá uma prova de que estamos no caminho certo”, completou Adriana Aguiar.

Entre as ações desenvolvidas, no Tocantins, pela Secretaria de Estado da Educação, Juventude e Esportes, estão a distribuição de kits de alimentação aos mais de 157 mil estudantes matriculados nas 493 unidades escolares da rede estadual de ensino. A primeira etapa das entregas foi finalizada no início de junho, período em que começou a segunda etapa, que está em andamento agora.

Paralelamente à entrega dos kits, a Seduc apresentou uma proposta inovadora para a retomada das atividades escolares na rede estadual. A medida estabelece o retorno gradual das aulas, começando pela 3ª série do ensino médio, em regime não presencial; e, a partir de agosto, o retorno gradual e escalonado dos estudantes à sala de aula, seguindo as recomendações dos órgãos de Saúde. A proposta começou a ser implementada nesta semana, com formação aos profissionais da educação (Para mais informações, acesse o link).

Além disso, para atender aos estudantes que estão em vias de realização do Exame Nacional do Ensino Médio e vestibulares, a Secretaria reformulou o programa #TOnoEnem, com a campanha “TO de casa NO ENEM”, que traz atividades on-line e off-line, não presenciais, do preparatório para o Exame Nacional do Ensino Médio. Dentre as ações, o programa conta com um canal específico noYouTube, que oferece aulas on-line e plantões tira-dúvidas e, para aqueles que não possuem acesso a computadores ou internet, estão sendo disponibilizados materiais didáticos impressos, que podem ser retirados nas escolas, ou, em caso de moradores da zona rural, entregues pelo transporte escolar; bem como plantões tira-dúvidas por meio de atendimento telefônico (0800-635050) ou diretamente nas escolas, mediante agendamento.

Mapeamento

O levantamento nacional mapeou as ações de 249 Secretarias de Educação (232 municipais e 17 estaduais) de 23 estados de todas as regiões do País. O evento on-line reunirá, além das organizações já citadas, secretários de Educação e representantes do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), da União dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), da União Nacional dos Conselhos Municipais de Educação (Uncme), do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) e do Fórum Nacional dos Conselhos Estaduais de Educação e Distrito Federal (FNCE).

A inciativa e o estudo têm o apoio da Associação dos Membros dos Tribunais de Contas do Brasil (Atricon) e do Conselho Nacional de Presidentes dos Tribunais Contas (CNPTC).

Fonte: SECOM/TO