Desinformação em matéria publicada pelo Estadão faz Ministério da Defesa emitir nota de esclarecimento

O Ministério da Defesa (MD) esclarece que a matéria “Militares criticam falta de recursos contra desmatamento, mas usam dinheiro para pintar unidades”, publicada no Jornal O Estado de São Paulo, em 20 de julho, contém graves equívocos, que conduzem o leitor à desinformação.

Inicialmente, cabe destacar que informações sobre o tema, prontamente prestadas ao jornalista, foram ignoradas no texto da matéria. Conforme nota enviada em 16 de julho, “o material a ser adquirido será utilizado na manutenção das bases e unidades envolvidas na operação, incluindo a construção de uma agência em Sinop, que permitirá ampliar ainda mais a capacidade operacional e de fiscalização”. A pintura é, dentre as técnicas anticorrosivas existentes, uma das mais eficazes para prolongar a vida útil de materiais, especialmente embarcações.

Ao contrário do que afirma a matéria, o Comando do 6º Distrito Naval (Com6ºDN), com sede em Ladário (MS), está presente, desde 1827, nas regiões de Mato Grosso do Sul e Mato Grosso. O último é um dos nove estados componentes da Amazônia Legal e, por isso, tem atuado desde maio no combate aos crimes ambientais na Operação Verde Brasil 2, com uso de meios navais, que operam nos rios Paraguai, Cuiabá e Teles Pires, aeronavais e terrestres. Assim sendo, é igualmente errônea a afirmação que os itens adquiridos não serão utilizados nas unidades empregadas na Operação Verde Brasil 2.

Além dos meios navais, aeronavais e terrestres empregados no Estado do Mato Grosso, a Marinha possui uma Capitania Fluvial em Cuiabá, agências em Cáceres e São Felix do Araguaia e pretende iniciar, ainda no corrente ano, a construção de mais uma agência em Sinop, fortalecendo assim a atuação e, consequentemente, a fiscalização na região.

Com relação ao orçamento, uma vez que os recursos específicos para a Verde Brasil 2 ainda não foram disponibilizados, dependendo de aprovação pelo Congresso Nacional, conforme já amplamente noticiado nos veículos de imprensa, o Ministério da Defesa adiantou recursos orçamentários previstos da rubrica de GLO para o pagamento de horas de voo iniciais da Operação.

Os resultados da Operação Verde Brasil 2 já ultrapassam os números da Verde Brasil 1, realizada no ano passado. Só o valor total das infrações, que alcançou a marca de R$ R$ 406.989.938,71, já supera em três vezes o resultado anterior.

Matérias relacionadas

O MD esclarece, uma vez mais, que os dados são apurados e enviados diariamente pelos Comandos Conjuntos. As autuações, prisões, apreensões e inutilizações são de competência exclusiva dos órgãos encarregados. Assim, a Operação Verde Brasil 2 é o resultado da atuação das Forças Armadas e de diversos Órgãos e Agências, que conduzem ações para reprimir os delitos ambientais na Amazônia. Os valores numéricos apresentados consolidam tais resultados, sendo o somatório das ações dos órgãos envolvidos.

Por fim, apesar dos inúmeros esclarecimentos já prestados por este Ministério, a matéria, uma vez mais, insiste em desinformar o leitor, ao afirmar que os resultados foram inflados. Ao contrário do que apresenta, os dados fornecidos correspondem à realidade.

Fonte: Ministério da Defesa

Este conteúdo foi modificado em 22/07/2020 08:42

Ver comentários (10)

  • Órgãos da desinformação sofrerão na sua credibilidade, certamente!

  • Parabéns pela mstéria esclarecedora e contundente. O Estadão vai pensar duas vezes antes de publicar dessinformação

  • Esse Pasquim, como tantos outros meios, totalmente esquerdetizados vão acabar morrendo por inanição. Ninguém mais acredita no que eles publicam

  • A desinformação da imprensa e da mídia obscura, tem levado caos aos leitores bem intencionados. Em pleno século 21 exista tanta desinformação, isso tudo, porque não estão perdendo para a honestidade e a coisa certa a fazer.

  • Está passando da hora dos DESINFORMADO RES DE PLANTÃO serem punidos por tal delito!

  • O que acontece no nosso país, é que a corja corrompida, tem a concepção de que o Brasil de hoje é governado nos mesmos moldes que era antes de Bolsonaro.Assim, ficam a esmiunçar em tudo buscando encontrar o que dantes era rotina, normal de acontecer!

  • Fico envergonhado em ver uma grande empresa de comunicação como a Folha...usar de meios sujos para levar ao público mentiras tendenciosas, para afetar nosso Governo, tentando derrubar nosso Presidente Bolsonaro.
    Hipócritas e covardes, imprensa imunda que não busca a honra e dignidade em lutar por um Brasil Patriota, um Brasil unido e forte.

  • Antes de ler qualquer notícia me atento a olhar a fonte. Foia, Estadão, grobolixo e outros não perco tempo em ler. Desinformação demais.............qualquer coisa e pano pra manga p eles caírem de pau contra ministros e Bolsonaro.

  • Esses jornalecos deveriam ser empastelados e seus “escreventes” presos com o mesmo tratamento dado aos “blogueiros” ( segundo esses,Canalhas) que venderam a sua profissão e ainda seduzem jornalistas. É o normal no Brasil: contra o governo Bolsonaro pode tudo, a favor STF neles! ilegalidades neles! perseguição neles! Está em tempo de acabar com esses 11 presidentes e deixar o eleito governar com punho de ferro.

  • O Estadão sendo Estadão! Igualzinho a Globolixo!! Credibilidade Zero!!

Este site usa cookies para melhorar sua navegação.