Governo não abrirá mão do potencial energético da Amazônia, diz ministro

“O Governo não abrirá mão do potencial energético da Amazônia”, afirmou o Ministro Bento Albuquerque em live com o Deputado Federal Joaquim Passarinho (PSD/PA) realizada nesta quarta-feira (29). O tema do encontro foi “Os desafios da mineração e da energia na Amazônia”. 

Sobre energia elétrica, o Ministro deixou claro que está trabalhando juntamente com empresas energéticas e a Procuradoria Geral da República na extensão de energia elétrica na região. Além disso, o Ministro afirma buscar uma modernização no setor elétrico e uma redução de custo para o consumidor do Norte, que, segundo ele, paga a tarifa mais cara do País. 

Em complemento, o Deputado Federal elogiou o trabalho do Ministério de Minas e Energia e do Presidente Jair Bolsonaro em relação às obras concluídas em Belo Monte, maior usina hidrelétrica totalmente brasileira. Com isso, o Ministro falou sobre o Plano Decenal de Expansão de Energia 2030, no qual, projeta-se que em 10 anos, 85% da energia elétrica do Brasil virá de fontes limpas. 

Em debate sobre a mineração, Joaquim Passarinho parabenizou Carajás por ser modelo mundial em mineração e comentou sobre novos projetos para o estado do Pará. O Ministro alegou que o setor é de extrema importância para o País, sendo o segundo setor com maior contribuição para a sociedade durante a pandemia do novo coronavírus. Com isso, afirmou que o Pará é fundamental na balança econômica comercial e que já está sendo apresentado para o Presidente da República 10 planos de ação com 108 metas para o setor mineral. 

Além disso, o Secretário de Geologia, Mineração e Transformação Mineral, Alexandre Vidigal, alegou em resposta ao Deputado, que as adversidades com os garimpeiros do Pará e de todo o País em relação à ilegalidade da exploração está sendo resolvido. 

Em relação ao petróleo, o Joaquim Passarinho citou Marajó e a previsão de  petróleo na costa do Pará explicando que já foram feitos estudos onde está comprovado que a exploração não irá afetar corais, pois não há existência deles naquela determinada região. Em resposta, o Secretário de Petróleo, Gás e Biocombustíveis, José Mauro Coelho, falou sobre o Edital de Oferta Permanente, modelo de licitação em que há oferta contínua de blocos e áreas para exploração ou reabilitação e produção de petróleo e gás natural.

Fonte: Ministério das Minas e Energia 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *