Ações da Saúde lembram o Dia Nacional de Combate à Sífilis e à Sífilis Congênita

O 3º sábado do mês de outubro é reconhecido, oficialmente, como o Dia Nacional de Combate à Sífilis e à Sífilis Congênita. Para reforçar a importância da data, a Secretaria de Estado da Saúde (SES), por meio da área técnica de Infecções Sexualmente Transmissíveis e Hepatites Virais (IST/AIDS/HV), incentiva os gestores municipais a realizarem diversas ações de mobilização coletiva para o enfrentamento deste agravo. Atividades como oferta de insumos de prevenção, testes rápidos, medicamentos, entre outras serão realizadas.

Este ano, o Ministério da Saúde (MS) definiu como tema da Campanha Eu sei. Você sabe?, advindo disso, a Área Técnica das IST/AIDS e Hepatites Virais, vinculada à SES, aderiu com a logomarca Eu já testei! E você já testou?, com o objetivo de alcançar a população com uma linguagem mais clara e objetiva para dar prioridade aos aspectos de prevenção e diagnóstico precoce, pertinente à Sífilis.

Dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) apontam que o Estado do Tocantins contabilizou, em 2019, 1.512 casos de sífilis adquirida; 228 casos de Sífilis Congênita; e 610 casos de Sífilis em Gestantes. Em 2020, até 21 de setembro, já foram notificados 708 casos de sífilis adquirida, 138 casos de Sífilis Congênita e 433 casos de Sífilis em Gestantes.

Segundo a assessora técnica da área das IST/AIDS/HV, Márcia Cristina Alves “estimular a participação dos gestores e profissionais de saúde significa intensificar as ações de prevenção de acordo com sua realidade local. Como exemplo, oferecer tratamento oportuno e adequado às gestantes durante seu pré-natal e consequentemente, prevenir a sífilis congênita, em seu território de abrangência, utilizando as medidas de prevenção e isolamento, de acordo com as normas sanitárias referentes à pandemia em decorrência da Covid-19”.

Ainda segundo a técnica, “diante deste cenário, a gestão Estadual não mede esforços para reduzir os índices desta doença no território tocantinense. Para isso, vem fomentando ações de prevenção, controle, monitoramento e vigilância, tais como: distribuição de testes rápidos e preservativos aos municípios, durante todo o ano”, pontua.

O material citado pela assessora é disponibilizado nas Unidades Básicas de Saúde da maioria dos municípios do Estado, em universidades, órgãos parceiros do Estado, estabelecimentos comerciais (postos de combustíveis, bares e restaurantes).

Aliado a isso, o Estado implantou fluxos e protocolos com o objetivo de acompanhar, de forma integralizada, pacientes com sífilis, tornando assim o tratamento apropriado; integração com a equipe da Atenção Primária fortalecendo o cuidado integral da pessoa com sífilis e orientações e recomendações aos municípios conforme protocolos preconizados pelo Ministério da Saúde.

 Sobre a Infecção

A sífilis é uma Infecção Sexualmente Transmissível (IST) causada pela bactéria Treponema Pallidum. A doença pode apresentar várias manifestações clínicas e diferentes estágios (ou formas, conhecidas como primária, secundária, latente e terciária), sendo o risco de contágio maior nos dois primeiros níveis. Todavia, a sífilis é curável, desde que seja feito o acompanhamento adequado por um profissional de saúde.

Prevenção

A prevenção contra a sífilis é semelhante à do vírus HIV, ou seja, por meio do uso do preservativo, seja o masculino ou o feminino. Fazer o teste constantemente e, em caso de diagnóstico da doença, o tratamento precoce também é importante para se livrar da infecção.

Fonte: Governo do Tocantins