Estados Unidos autorizam o uso de remdesivir como tratamento para covid-19

A agência reguladora de medicamentos dos Estados Unidos (FDA) deu plena autorização nesta quinta-feira (22) para o uso do antiviral remdesivir no tratamento de pacientes hospitalizados por COVID-19, confirmando a autorização condicional concedida em maio.

O anúncio fez as ações do laboratório Gilead, fabricante do medicamento nos EUA, subirem 4% na Bolsa de Valores de Nova York.

Mais tratamentos estão disponíveis há meses para prescrição por médicos americanos graças a autorizações temporárias ou porque são medicamentos relativamente banais, como o corticosteróide dexametasona e a hidroxicloroquina.

A Europa e outros países também autorizaram temporariamente o remdesivir. O remédio foi um dos primeiros medicamentos a ter eficácia comprovada em estudos científicos, apresentando bons resultados na redução do tempo de recuperação de pacientes hospitalizados em vários dias.

Apesar disso, a OMS continua a negar a eficiência do fármaco contra o coronavírus.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que testou positivo para covid19 no início de outubro, recebeu este tratamento por cinco dias, associado a outros medicamentos, ficando plenamente recuperado.