Suspeito de praticar crimes contra o patrimônio é preso pela Polícia Civil em Colméia

Na tarde desta terça-feira, 3, uma ação conjunta de combate à criminalidade, deflagrada por policiais civis da 45ª Delegacia de Colméia e agentes da 5ª Divisão Especializada no Combate ao Crime Organizado (5ª DEIC) de Guaraí, sob o comando do delegado Roberto Assis, resultou na prisão de um indivíduo de 19 anos, suspeito de praticar vários crimes contra o patrimônio naquela cidade.

Conforme a autoridade policial, as investigações para identificar o suspeito tiveram início há cerca de um mês, quando da ocorrência de dois roubos na cidade de Colméia. “Ao longo das últimas semanas, estávamos investigando alguns crimes contra o patrimônio que teriam sido cometidos por dois indivíduos utilizando armas de fogo e, nesse sentido, intensificamos as diligências quando fomos informados de que dois indivíduos tinham roubado uma motocicleta, bem como um aparelho celular em um mesmo dia”, disse o delegado.

Com base nas informações levantadas, os policiais civis da 45ª DP identificaram os dois suspeitos, sendo que o delegado representou junto ao Poder Judiciário pelas prisões temporárias. De posse das ordens judiciais, os policiais civis das duas unidades policiais deflagram a ação e conseguiram dar cumprimento ao mandado de prisão temporária em desfavor do homem de 19 anos, que então foi conduzido até a sede da 45ª e, após a realização das providências legais cabíveis, foi recolhido a Casa de Prisão Provisória de Guaraí, onde permanecerá à disposição do Poder Judiciário.

As investigações continuarão para que a Polícia Civil possa localizar o paradeiro do segundo envolvido nos crimes.

Periculosidade

Segundo o delegado Roberto Assis, a prisão do suspeito representa mais paz e segurança para população de Colméia, uma vez que, apesar da pouca idade, o suspeito é considerado de alta periculosidade. “Durante as investigações, nos chamou muita atenção o fato de que o suspeito preso, juntamente com seu comparsa, sempre agia com extrema violência, fazia ameaças de morte e sempre utilizava armas de fogo para perpetrar os atos ilícitos”, ressaltou o delegado.

Fonte: Governo do Tocantins