Pequenos negócios reagem rapidamente à crise e recuperam empregos no Brasil

O Brasil segue forte na recuperação de emprego e renda para a população. De acordo com o Ministério da Economia, em análise feita pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), os pequenos negócios foram os que reagiram mais rapidamente à crise, recuperando cerca de 443 mil postos de trabalho nos meses de julho, agosto e setembro. 

As micro e pequenas respondem a 30% de tudo o que é produzido no Brasil e são responsáveis por mais da metade (55%) dos empregos do país. No turismo, elas representam quase a totalidade (95%) dos empreendimentos do setor, englobam milhões de empregos e dão lazer, entretenimento e diversão para outros milhões de visitantes.

As empresas de médio e grande porte também demonstram bom desempenho, mas em menor escala: elas criaram 245 mil vagas no mesmo período. Os números apontam, ainda, que no mês de julho o saldo na geração de emprego das micro e pequenas empresas foi 2,4 vezes maior que o das médias e grandes. Já nos meses de agosto e setembro, os saldos das MPEs foram 76% e 66% maiores que as médias e grandes, respectivamente.

O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, destacou a importância dessas empresas para o setor e ressaltou ações do MTur para fortalecê-las. “O Ministério do Turismo está sempre trabalhando na qualificação, na oferta de crédito e no aprimoramento desses empreendimentos que alimentam milhares de famílias por todo o país”, declarou. Como exemplo, citou os incentivos a novos negócios e a melhoria dos serviços, promovidos pelo Investe Turismo, além da liberação de R$ 5 bilhões, via Fungetur, para socorrer o setor, tão afetado pela pandemia do coronavírus.

Considerando o acumulado do ano (incluindo os meses anteriores à chegada da pandemia da Covid-19), os dados mostram que, entre demissões e contratações, as pequenas empresas tiveram um saldo melhor, com cerca de 40 mil demissões a menos que as de médio e grande porte. No conjunto da economia, entre janeiro e setembro, o saldo foi negativo em 559 mil vagas.

Números do emprego
* Nos meses de março a junho, as micro e pequenas empresas demitiram cerca de 1 milhão de trabalhadores. No mesmo período, as médias e grandes encerraram 605 mil postos de trabalho.
* Entre julho e setembro, os pequenos negócios admitiram 443 mil pessoas, enquanto as médias e grandes abriram 245 mil vagas.
* No acumulado, entre janeiro e setembro, as micro e pequenas demitiram 294 mil pessoas, contra 333 mil demitidos nas médias e grandes.
* A Administração Pública gerou saldo positivo de 13,4 mil vagas em 2020.

Fonte: Governo do Brasil