Governo Federal apresenta ações para mães e bebês prematuros

“Que todos tenham direito ao tratamento, à medicação. Que todos os anjos tenham direito à vida”, afirmou a ministra Damares Alves, titular do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), durante o evento “Juntos pelos Prematuros – Cuidando do Futuro”, nesta quinta-feira (26), em Brasília (DF). Na cerimônia, o Ministério da Saúde apresentou ações para gestantes e recém-nascidos no Sistema Único de Saúde (SUS).

Assista a solenidade no Youtube

Durante a cerimônia, a ministra Damares parabenizou a sociedade civil, pela junção de forças com o Poder Público. “Eu quero que você pense em uma mãe indígena, de uma criança que nasce de seis meses, como sobreviver em uma aldeia? Eu quero que vocês lembrem das mães ribeirinhas que não conseguem chegar em uma unidade de saúde, como esses anjos vão sobreviver? Só um governo com essa sensibilidade, com um olhar para todos os anjos, assina uma portaria como essa hoje”, completou a ministra.

O anfitrião e ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, apresentou ações para o cuidado com gestantes e bebês prematuros no Sistema Único de Saúde (SUS). Entre os destaques, esteve a abrangência das ações que alcançam os municípios brasileiros.

“É muito importante reforçar o acompanhamento da gestação na atenção primária, inclusive em tempos de pandemia. Acontece tudo simultaneamente, nada mudou. Não podemos ter medo de procurar as unidades de saúde. Mães, pais, todo mundo tem que procurar o mais rápido possível, para que o acompanhamento e o momento do parto seja acompanhado e os nenéns nasçam com a maior segurança possível”, disse.

O ministro também citou a meta de reduzir as taxas de mortalidade neonatal, infantil e materna. Segundo dados apresentados, anualmente nascem 15 milhões de crianças prematuras no mundo. No Brasil, os números são de 340 mil por ano – 931 por dia ou 6 a cada 10 minutos.

Em nova portaria, o Ministério da Saúde destinou R$ 324,5 milhões para a adequação de 692 maternidades que prestam assistência às gestantes, parturientes, recém-nascidos e puérperas.

No âmbito das políticas públicas, também foi citada no evento a transferência de recursos no valor de R$ 8 milhões para a estratégia QualiNEO. A iniciativa tem objetivo de qualificar a atenção e cuidado ao recém-nascido nas maternidades. Outros R$ 4 milhões para fortalecer a Política Nacional de Aleitamento Materno e Bancos de Leite Humano.

Também participaram do evento a deputada federal Carmen Zanotto, a titular da Secretaria Nacional da Família (SNF/MMFDH), Ângela Gandra, a médica e representante da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), Socorro Gross, o secretário de Atenção Primária à Saúde, Raphael Câmara Parente, o secretário de Atenção Especializada à Saúde, coronel Luiz Otavio Franco Duarte, o presidente do Conselho Municipal de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems), e o representante do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), Leonardo Vilela.

As ações contam com o apoio da Secretaria Nacional de Políticas para Mulheres (SNPM), do MMFDH.

Celebração

A solenidade foi realizada no âmbito da Semana de Prevenção da Prematuridade, do Ministério da Saúde (MS). O evento fez alusão ao Novembro Roxo, mês da conscientização para os cuidados e prevenção da prematuridade. Na ocasião, também foi lembrado o Dia Mundial da Prematuridade, celebrado no último dia 17. A condição é caracterizada pelo nascimento antes de 37 semanas de gestação.

Fonte: Governo do Brasil