Documentos comprovam que a China omitiu pelo menos 1/3 dos casos de covid19

A CNN Internacional revelou com “exclusividade” na segunda-feira, 30, que a China omitiu cerca de um terço dos casos de Covid-19 no início da pandemia, para a surpresa de zero pessoas.

De acordo com as informações que constam em um documento sigiloso, autoridades de saúde de Hubei, onde o vírus foi detectado pela primeira vez, registravam 5.918 casos de Covid-19 em 10 de fevereiro. O número era o quase o dobro do que foi anunciado: 3.911 casos.

“Em vários momentos críticos na fase inicial da pandemia, os documentos mostram evidências de erros claros e apontam para um padrão de falhas institucionais”, informou a CNN.

Um relatório nos documentos do início de março diz que o tempo médio entre o início dos sintomas e o diagnóstico confirmado foi de 23,3 dias, o que os especialistas disseram que a CNN teria dificultado significativamente as medidas para monitorar e combater a doença.

O regime chinês foi acusado pelos Estados Unidos de omitir informações sobre a covid-19. Em junho, o Ministério das Relações Exteriores do país declarou que sempre forneceu informações à comunidade internacional de maneira “oportuna, aberta e transparente” para combater a pandemia.

Bolsonaro também questionou

Em janeiro, o presidente brasileiro Jair Bolsonaro também levantou dúvidas sobre os dados apresentados pela China.

“A gente espera que os dados da China sejam reais, (que seja) só isso de pessoas contaminadas. Se bem que é bastante. Mas a gente sabe que esses países são mais fechados no tocante à informação”, disse Bolsonaro.

Fonte: Epoch Times