“Fomos pegos de surpresa”, afirma motoboy que teve veículo apreendido em fiscalização da PTRAN

A facilidade de cadastrar seu veículo para trabalhar para as plataformas de delivery e outros fretes pareceu utópica durante esta semana, quando os proprietários de motocicletas que prestam serviço a aplicativos tiveram os veículos multados e até mesmo recolhidos pela fiscalização do Estado.

O Portal Novo Norte está acompanhando os casos e ontem (25) ouviu Elias Oliveira, que teve o veículo apreendido durante ação da Força Tática e Pelotão de Trânsito (PTRAN), no início da semana. Ao deixar a reunião que finalizou os protestos  realizados pela categoria nessa sexta-feira (25), o motoboy falou do momento da apreensão.    “Eles alegaram que como eu trabalho em uma empresa de entrega de alimentos, eu não poderia estar trabalhando porque o meu veículo não se enquadra na categoria aluguel e nem na resolução 356 do CONTRAN, por isso eles iam guinchar o meu veículo”, explicou.

“Eles não procuraram a gente para tá informando, fomos pegos de surpresa”, arrematou.

Elias Oliveira presta serviço ao “To no Lucro” e afirmou que, segundo o posicionamento da empresa, haverá, na próxima semana, uma reunião com o jurídico do Detran “para resolver essa situação”. Até o momento, o Portal Novo Norte não teve respostas oficiais do órgão. Mas um vídeo encaminhado por participantes da mobilização mostra o presidente Colemar Câmara garantindo que o “governador não tem objetivo de prejudicar qualquer classe trabalhadora que seja. Nós vamos sentar semana que vem, junto com o jurídico do Detran, dadas as devidas competências de cada órgão para chegar a uma solução”.

Saiba mais: ‘Tô Sem Lucro’: Fiscalização de trânsito pode inviabilizar aplicativos de entrega com moto em Palma

Motos usadas para deliverys são apreendidas na Capital