Domingo, 14 de Agosto de 2022 01:35
63 98121-2858
Geral Geral

Moro recebe do CONAMP e CNPG mais sugestões de vetos ao projeto que pune autoridades

Moro recebe do CONAMP e CNPG mais sugestões de vetos ao projeto que pune autoridades

03/09/2019 18h48 Atualizada há 3 anos
Por: Redação
Moro recebe do CONAMP e CNPG mais sugestões de vetos ao projeto que pune autoridades

Representantes da Associação Nacional dos Membros do Ministério Público (CONAMP) e do  Conselho Nacional de Procuradores-Gerais (CNPG) estiveram no Ministério da Justiça e Segurança Pública, nesta terça-feira (21), e entregaram ao ministro Sérgio Moro análises técnicas contrárias ao projeto que pune o abuso de autoridade.

Para os procuradores e integrantes do Ministério Público, o projeto aprovado pela Câmara causou “surpresa aos operadores do Direito, pois não houve o debate necessário para o amadurecimento das propostas”. No documento, eles também dizem que o “PL acarreta intimidação aos agentes de combate à corrupção, tornando-os vulneráveis a penalizações pelo exercício legítimo de suas atribuições. Sendo assim o projeto cria obstáculos sem precedentes ao combate ao crime organizado”.

Os relatórios também foram entregues ao presidente da República, Jair Bolsonaro, para embasar o pedido de veto de artigos considerados essenciais para a atividade judiciária. O ministro Sérgio Moro agradeceu as manifestações do Ministério Público e disse que pretende encaminhar sugestões de veto ao presidente.  Ontem, em palestra na Universidade de Marília (SP), o ministro disse que conter abusos é necessário, mas na dose certa. “Certamente ninguém é favorável a abuso de poder, mas temos que tomar muito cuidado para evitar que, ainda que a lei seja bem intencionada, possa servir como uma censura à atuação de juízes independentes, de promotores independentes e de policiais corajosos que se arriscam no dia a dia para aplicar a lei e que não têm condições de, cada um deles, ser acompanhado por um advogado do lado para saber exatamente o que pode fazer, até onde pode ir”, afirmou.


Fonte: Ministério da Justiça e Segurança Pública

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.