Domingo, 07 de Agosto de 2022 20:12
63 98121-2858
Geral Geral

Empresas do Procompi no Tocantins ganham o dobro de produtividade da média nacional

Empresas do Procompi no Tocantins ganham o dobro de produtividade da média nacional

25/11/2019 16h34 Atualizada há 3 anos
Por: Redação
Empresas do Procompi no Tocantins ganham o dobro de produtividade da média nacional

O Programa de Apoio à Competitividade das Micro e Pequenas Indústrias (Procompi) em Tocantins registrou um aumento de produtividade de 51% nas empresas participantes no setor de madeira e móveis. O percentual é o dobro do registrado na média nacional (25%). Para conhecer de perto as ações implementadas com o objetivo de replicá-las em outros estados, uma missão técnica da Coordenação Geral do Procompi, com representantes da Confederação Nacional da Indústria (CNI) e do Sebrae desembarca nesta segunda-feira (25) em Palmas.

“O intercâmbio de experiências é fundamental para aprimorarmos a gestão e conquistarmos resultados mais expressivos”, comentou Cristiano Silva, representante da CNI na Coordenação Geral do Procompi. “Quando vamos até a ponta e interagimos com os empresários atendidos pelo programa, entendemos melhor todos os ganhos e os ajustes pontuais que podem ser feitos na gestão”, completou Cristiano.

No Tocantins, o Procompi atende 100 empresas de cinco setores industriais: reparação de veículos, alimentos e bebidas, têxtil e confecções, cerâmica, madeira e móveis. A conclusão do projeto no estado está prevista para fevereiro de 2020. No total, CNI e Sebrae investiram R$ 700 mil em ações de qualificação em diversos módulos como gestão, marketing e vendas. Os consultores contratados analisaram as necessidades, os gargalos e as oportunidades pouco exploradas pelas empresas. De forma integrada com os proprietários ou representantes delas, os profissionais buscaram soluções para aumentar a produtividade, reduzir desperdício e, consequentemente, melhorar a competitividade dos participantes.

Entre os beneficiados, está Ana Paula Siqueira Felix, proprietária da Bolos do Cerrado. A empresa existe há seis anos e conta com 31 funcionários, dois deles contratados enquanto o Procompi estava em curso. “A consultoria ajudou muito na reestruturação do negócio, aumentou as nossas vendas, a produção e o nosso faturamento em 10%, consequentemente precisaremos aumentar o quadro de colaboradores. Por isso, além dos dois profissionais recém-contratados, estamos selecionando outros dois”, afirmou Ana Paula, que unificou a produção das quatro lojas, ação que reduziu desperdício com a centralização de compras e estoque.

Agilidade – No ramo de reparação de veículos, o empresário Manoel de Jesus Abreu Glória foi um dos participantes do Procompi em Palmas. “Antes os carros demoravam um, dois dias para sair da oficina. Hoje, com a organização que fizemos, eles geralmente saem no mesmo dia. Com isso, podemos atender mais clientes”, comentou. Ele planeja transferir a oficina para um terreno próprio e contratar dois funcionários em 2020. “Atualmente o meu espaço é alugado. No próximo ano, vamos mudar para um novo endereço próprio e terei condições de colocar na prática o conhecimento que aprendi nos cursos, vou investir em tecnologia e ampliar a equipe”, explicou.

A diretora técnica do Sebrae Tocantins, Eliana Castro, explicou que as empresas que participam desse programa inovam e passam a oferecer novos produtos ou serviços. “Por meio de projetos submetidos pelas federações estaduais de indústrias e unidades do Sebrae, grupos de empresas de pequeno porte do mesmo setor recebem capacitação e consultoria para alavancar a produtividade e eficiência nos negócios”, destacou.

Para o superintendente do Sebrae Tocantins, Moisés Gomes, a participação das empresas tocantinenses no Procompi gera oportunidades de desenvolvimento e competitividade dentro do mercado. “ Temos um ambiente mais propício ao conhecimento e um empresário mais capacitado a transformação e inovação”, afirmou Gomes.

Em 2020, o Procompi vai completar 20 anos. O programa, fruto da parceria entre CNI e Sebrae, já atendeu a 8.842 empresas, num investimento de R$ 104 milhões, com um ganho médio de produtividade médio de 20%. De acordo com levantamento da CNI, 93% das indústrias no Brasil são micro ou pequenas empresas.

Principais resultados alcançados

- Redução de 17% nos custos de produção para empresas participantes do projeto têxtil e confecções.

- Melhoria ou desenvolvimento de novos produtos, processos ou serviços em 73% das empresas de madeira e móveis beneficiadas pelo projeto e em 93% das empresas participantes do projeto de madeira e móveis.

- Aumento de 51% de produtividade nas empresas participantes do projeto de madeira e móveis.

O encerramento do projeto de cerâmica está previsto para jan/2020 e os demais (alimentos e bebidas e reparação de veículos) estão previstos para fev/2020.


Fonte: Sebrae Tocantins

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.